Poesias

VIDA QUASE POSSÍVEL

Onde germina o caos
abre-se sem medo
a flor da loucura
e do vento que a agita
recende o perfume
que nos embriaga e co-move
rumo à estação das mudanças.


A vida só é possível de ser vivida
quando absorvermos de seus sobranceiros
/seios
o leite das perguntas, o que nos lambuza
/a boca
e os sentidos com um gemido de prazer e dor
como se do alto os botões de seus olhos,
à esquerda é à direita, nos mirassem
a indagar: “Quem és tu?, quem somos nós?”


A vida só é impossível de ser vivida
quando dói sepultar uma culpa pela manhã
e à noite ela voltar, com a vergonha de outra culpa
e puxar pelos pés os nossos sonhos, e a silvar,
serpente enrodilhada nas pernas do coração.
A vida só há de ser possível quando o sexo
/chagar de alegria
e a lua atrasar-se por tantas paixões que esperam
/em fila.

Paulo Roberto do Carmo
01/03/2017

 

 

Site da Rede Artistas Gaúchos desenvolvido por wwsites