Poesias

DOS ALARDES

A vida
não é o que todos alardeiam
com a boca da felicidade,
mas o que imaginamos
desse duradouro
desprazer da espera
e que se estranha
a esvurmar
a ferida dos desejos,
e que depois se cala,
brindando as taças
a embriagar a dor
que se embriaga com outra dor.

Paulo Roberto do Carmo
07/12/2016

 

 

Site da Rede Artistas Gaúchos desenvolvido por wwsites