Poesias

DOS AUTOS DA ALEGRIA

Fica exporto
e arrogados os direitos -
contrapondo
ao que foi ontem
o que h√° de ser agora,
que estar vivo
é tirar do bem o proveito
do muro, a nuvem
da palavra, o p√£o
do rei, as vestes
dos odres, o vinho
da raz√£o, os sentidos
do invisível, o palpável
do tempo, o acaso
do sol, o levante -
e que, de tanto ser mordido
ao redor do coração,
é que se aprende
a morder,
bater mais forte.
E que a solid√£o
fica circunscrita
e iluminada
dentro dos autos
da alegria.


07/02/2012

 

 

Site da Rede Artistas Gaúchos desenvolvido por wwsites