Poesias

DE TUDO HEI DE PEDIR CONTA

De tudo hei de pedir conta
dos rumos no sextante
do medo nos desv√£os
do tédio no horizonte.

De tudo hei de pedir conta
do orgulho, das culpas
da cal viva do desejo
dos óleos ferventes do ódio
do exílio no vazio
do fogo, da √°gua
dos loucos, dos defuntos..

De tudo hei de pedir conta
limei a esperança
o sonho, os punhos.
Só das minhas palavras
n√£o dou conta.


02/08/2011

 

 

Site da Rede Artistas Gaúchos desenvolvido por wwsites