Poesias

No desespero, na dor

No desespero, na dor,
não me venham com palavras,
verdades, teorias –
o que eu preciso é de ajuda,
este animal de quatro braços
e um coração reto e simples
que dá asas a quem abraça
para voar abraçado a quem ajuda.

No desespero, na dor,
não me venham com hermenêuticas,
o que preciso é de água
para respirar como o peixe
que achou onde nadar.
O que eu preciso é de ajuda e de água.


25/01/2011

 

 

Site da Rede Artistas Gaúchos desenvolvido por wwsites