Poesias

Desprezo

Pelo desprezo o coração
bate na boca do estômago
que se revolta e regurgita
e no revide come o fígado
de quem despreza.

É simples como um fogo
adestrado que acerta no alvo.


28/09/2010

 

 

Site da Rede Artistas Gaúchos desenvolvido por wwsites