Poesias

A HORA DO DESAGRAVO

Quando do caos n√£o mais houver
uma palavra para aliviar a dor,
juntos trataremos, olho no olho,
de não render o espírito à violência,
juntos trataremos de mudar a vida,
mudar de corpo, mudar o sonho em destino
e amantes beber o suor de nossas noites.

Entre viol√™ncias e apari√ß√Ķes de uma for√ßa maior
trataremos de voar nos intervalos, ombro a ombro,
esta asa esquerda a roçar e bater
em tua asa direita, uma a levantar a outra,
e juntos apagaremos as fronteiras do regresso
até que novas palavras rebrotem de nossos peitos,
palavras revolucion√°rias para a hora do desagravo.


18/05/2010

 

 

Site da Rede Artistas Gaúchos desenvolvido por wwsites